...
Detalhes

Vagas limitadas

Observações gerais:
Vagas limitadas e sujeitas à confirmação


Inscrições Encerradas
As deficiências brasileiras em infraestrutura são conhecidas: nosso custo logístico é cerca de 60% superior ao americano, em percentual do PIB. A energia elétrica é cara. O saneamento não chega a metade dos brasileiros. Mesmo assim, pouco se fala em números: quanto precisaremos, de fato, investir nos próximos anos para resolver todos estes problemas e levar o Brasil a um patamar de excelência em infraestrutura?

Para buscar a solução ao problema, é fundamental haver uma visão de país: um planejamento de longo prazo que nos permita saber onde queremos chegar, para depois decidir quais serão os projetos mais adequados para viabilizarmos estes objetivos.

A KPMG em uma parceria com o Infra2038 realizarão o evento que discutirá o Quanto precisamos investir em infraestrutura até 2038, e como chegaremos lá?......, e será composto por dois painéis de discussão.

Agenda:
8h30 às 9h00 Credenciamento e welcome
9h00 às 10h15 Painel: Infrastructure gap: de quanto falamos no Brasil, e quais são os setores mais carentes?
Descrição: Quanto o Brasil precisará investir em infraestrutura para cobrir o gap atual no estoque do país? Quais setores demandarão maior investimento? Por que a visão de longo prazo é tão importante para definir os projetos certos? Como podemos evoluir em nosso planejamento?
Moderador: Diogo Mac Cord, Sócio-Diretor da KPMG

Debatedores:
— Mauricio Endo, Sócio-Líder de Governo e Infraestrutura da KPMG para América Latina
— Hailton Almeida, Secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério do Planejamento
— Fabiano Pompermayer, Diretor de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura do IPEA
10h15 às 10h45 Coffee break
10h45 às 12h00 Painel: Análise crítica ao modelo do PMI e opções para elaboração de projetos de qualidade e em quantidade suficiente para cobrir o gap
Descrição: Uma vez definidos os setores prioritários, como produzir projetos suficientes para viabilizar os investimentos desejados? O modelo de fundos é o melhor? Seria o modelo usado pela antiga EBP? Ou o PMI? Quais as principais vantagens e desvantagens de cada modelo, e como podemos aproveitar todas as alternativas para produzir bons projetos.
Moderador: Henrique Pinto, Conselheiro do infra2038

Debatedores:
— Marco Aurélio, Secretário de Articulação para Investimentos e Parcerias do PPI
— Paul Procee, Líder de Programa para Infraestrutura do World Bank no Brasil
— Fernando Pieroni, Diretor-Executivo do Instituto Semeia

Observações:
— O evento é gratuito e exclusivo para convidados da KPMG.
— Vagas limitadas e sujeitas à confirmação.
— Estacionamento no local por conta do participante.